Pesquisar neste blog

Carregando...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

As sociedades organizadas em castas

   O sistema de castas foi observado na Grécia antiga e na China, mas a Índia foi onde esse sistema se expressou de forma mais completa. A sociedade indiana começou a se organizar em castas e subcastas há mais de três mil anos, adotando uma hierarquização baseada em religião, etnia, cor, hereditariedade e ocupação. Esses elementos definem a organização do poder político e a distribuição da riqueza gerada pela sociedade.
   O sistema de castas sobrevive por força da tradição, pois legalmente foi abolido em 1950. Podem-se afirmar, em termos genéricos, que existem quatro grandes catas na Índia: a dos brâmanes (casta sacerdotal, superior a todas as outras), a dos xátrias (casta intermediária, formada normalmente pelos guerreiros, que se encarregam do governo e da administração pública), a dos vaixás (casta dos comerciantes, artesãos e camponeses, que se situam abaixo dos xátrias) e a dos sudras (a casta dos inferiores, na qual se situam aqueles que fazem trabalhos manuais considerados servis). Os párias são os que não pertencem a nenhuma casta, e vivem, portanto, fora das regras existentes.
   No sistema de castas não há mobilidade social, ou seja, quem nasce em uma casta, não tem como sair dela e passar para outra. Não há, portanto, mobilidade social nesse sistema. Os elementos mais visíveis da imobilidade social são a hereditariedade, a endogamia (casamentos só entre membros da mesma casta), ás regras relacionadas á alimentação (as pessoas só podem se alimentar com membros da própria casta e com alimentos preparados por elas mesmas) e a proibição do contato físico entre membros das castas inferiores e superiores. Repulsão, hierarquia e especialização hereditária: são as palavras-chave para definir o sistema de castas.
                                                                                 Postado por: Dandara C.

Nenhum comentário:

Postar um comentário